Case: Bart Digital, Pulse e Raízen juntas agilizam a concessão do crédito agrícola

Atualizado: 4 de fev.


Imagem: Capa da Revista Cultivar

Quando se fala em digitalização no agronegócio, logo vêm à mente drones e outros dispositivos para aperfeiçoar as tarefas realizadas no meio rural.


Longe das lavouras, porém, as áreas de suporte às operações agrícolas têm passado por uma transformação digital muitas vezes invisível a olho nu, mas que tem feito diferença na simplificação e agilização de processos que, até pouco tempo atrás, consumiam tempo e recursos em toda a cadeia produtiva.


Bons exemplos dessa revolução digital foram identificados no pulse, hub de inovação e acelerador de startups da Raízen, e incorporados no dia a dia das operações e da companhia e seu relacionamento com os fornecedores. "Áreas de suporte corporativo, como as relacionadas à contratação desses fornecedores ou a concessão de crédito, têm sido impactadas graças a parcerias com startups voltadas à digitalização de processos antes demorados e burocráticos", afirma Ricardo Campo, coordenador de inovação da Raízen e gestor do Pulse.


Hoje, graças à inovação trazida pelos parceiros, uma série de processos dessas áreas é executada de forma mais ágil e precisa. Um bom exemplo nesse sentido, segundo Campo, é a contribuição da Bart Digital, uma das parceiras do Pulse. A Startup desenvolve soluções para agilizar e digitalizar etapas de emissão e verificação de documentos necessários para a elaboração de contratos de fornecimento ou de financiamento agrícola, como as relacionadas a cartórios, registro de CPR na B3, assinatura digital e fluxos de contratações.


Segundo Mariana Bonora, diretora executiva da Startup, desde a sua fundação, em 2016, a Bart integra os principais programas de inovação agrícola do Brasil, como Pulse e Startup Farm, além de receber investimento da SP Ventures, fundo de capital de risco especializado em agtechs. "Pioneira na emissão de e-CPRs (Cédula de Produto Rural Digital), a Bart se tornou uma das principais referências no tema, especialmente a partir da pandemia, que acelerou a digitalização dos financiamentos agrícolas", diz Mariana.


Muito difundida como facilitadora na produção e comercialização rural, a CPR é um título que representa um compromisso de entrega futura de um produto agropecuário. No caso dos fornecedores parceiros, esse produto é o suprimento de cana negociado com a Raízen. Desde janeiro de 2021, a emissão de CPRs com valor a partir de R$ 1 milhão precisa ser registrada em bolsa de valores. E, gradativamente, esse teto será reduzido até que valha para todas as CPRs.


A Bart está homologada para fazer o registro de CPR em bolsa de valores e criou um fluxo de trabalho digital para que esse registro seja mais rápido, desde acessar um cartório, oferecer um processo de assinatura digital, caso o fornecedor da Raízen não tenha, e se encarregar de toda a tramitação para que o registro se efetive em até dez dias úteis, prazo previsto pela lei.


Caso esse prazo de dez dias úteis não seja cumprido, será necessário iniciar novamente o processo de registro da CPR, com todos os custos e prejuízos que isso acarreta. "Então, além de cumprir a legislação, estamos oferecendo uma ferramenta que permite a digitalização desse processo para o fornecedor", diz Campo. "E a Raízen ganha fluidez ao oferecer um produto digital para esse fornecedor. Afinal, o lastro da CPR é o contrato de cana que o fornecedor tem com a Raízen.


Além de a mudança de legislação da CPR ter surpreendido os vários elos da cadeia do agronegócio, nem todos os fornecedores de cana estavam familiarizados com os trâmites da emissão. Acrescente-se a isso a burocracia cartorial, ainda um entrave no país, mesmo com as exigências de pouco contato físico motivadas pela pandemia de covid-19.


Mariana Bonora acrescenta que a Bart Digital oferece aos fornecedores da Raízen a possibilidade de certificação digital, que consiste na emissão do e-CPF, dispositivo que possibilita a assinatura de documentos de maneira digital. Assim, a assinatura das CPRs e dos demais documentos passa a ser realizada de qualquer lugar com sinal de internet.


Uma vez assinada de maneira digital, a CPR não precisa ser levada de maneira física até o balcão do cartório para ser registrada. Com a Plataforma Ativus, da Bart, o protocolo para registro das garantias em cartórios e em central registradora é realizado de forma eletrônica, o que permite que o produtor permaneça na fazenda, dedicando-se às suas atividades agrícolas, em vez de solucionar burocracias. A Raízen, por sua vez, se beneficia de um processo mais digital e célere.