Produtores rurais aderem a tecnologias no campo

Você sabia que 84% dos produtores rurais brasileiros aderem a tecnologias no campo? É o que revela pesquisa realizada pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e Embrapa.


Tecnologia no campo. Bart Digital. Imagem: internet.

Atualmente, diversas ferramentas oferecem tecnologia digital para apoio à produção agrícola. Elas são capazes de reduzir despesas e desperdícios, aumentar a produtividade e colaborar com a sustentabilidade. Tudo isso baseado em análise de dados.


Existem inovações voltadas para:

· Financiamento agrícola digital

· Análise de clima

· Detecção de pragas

· Monitoramento de atividades

· Redução de desperdícios e diminuição dos custos

· Mapeamento e análise de terrenos com aviões e drones

· Monitoramento e controle à distância com telemetria

· Otimização de plantações com biotecnologia

· Certificação de produtos agrícolas

· Entre outros



Isolamento social acelerou adesão por tecnologia

Com a pandemia, produtores rurais buscaram ainda mais soluções tecnológicas digitais, visando garantir a continuidade de suas operações – mesmo com a necessária reclusão social temporária imposta pela disseminação do coronavírus.


A Bart Digital chegou a antecipar a liberação da Plataforma Ativus, criada para impulsionar a digitalização do financiamento agrícola, com o objetivo de mitigar os efeitos da crise e garantir que os insumos continuassem chegando no campo.


Essa ferramenta tecnológica possibilita a produtores rurais emitir títulos agrícolas eletrônicos, realizar assinatura digital, e ainda, enviar para registro – tudo de forma digital.



-> Conheça a Plataforma Ativus!


A revolução chegou: Agricultura 4.0

A agricultura evoluiu e chegou ao patamar de ser potencializada por tecnologias que mudaram o mundo, graças à revolução digital.


À princípio, no período chamado Agricultura 1.0, tudo era feito à mão, com poucos recursos tecnológicos e baixa produtividade.


A partir dos anos 1950, as máquinas chegaram, inaugurando a Agricultura 2.0, com a produção em larga escala e início do comércio global.


Já entre os anos 1990 e 2010, a coleta e análise de dados se tornaram crucias na agricultura, possibilitando debates acerca da sustentabilidade nos processos. Esse foi denominado como o período da Agricultura 3.0.


E, a partir dos anos 2010, a revolução digital marcou o início da Agricultura 4.0, em que começaram a surgir diversas pesquisas e novas tecnologias para potencializar o agronegócio.


Ela possibilitou melhorias na eficiência produtiva, na eficiência ambiental e também na lucratividade do produtor, evitando perdas e desperdícios.



Nova forma de fazer agricultura

O mundo está mudando e a forma de fazer agricultura também. Melhores desempenhos são exigidos em todas as fases da cadeia produtiva, desde plantio, cultivo e colheita até os registros e obrigações legais.


Tanto que, no Brasil, o mercado do agronegócio está se preparando para a nova fase do registro de CPRs (Cédulas de Produto Rural). Em janeiro de 2022, as CPRs com valor igual ou superior a R$ 250 mil passam a precisar de registro ou depósito centralizado para ter validade e eficácia.


A Bart Digital realiza o registro centralizado de CPRs, adequando diversas empresas à Lei 13.986/20. Clique e saiba mais!


Apesar dos desafios enfrentados no campo, diversas inovações facilitam a vida dos produtores rurais, graças à crescente tecnologia a favor do agronegócio. E, nessa nova forma de fazer agricultura, a tecnologia vem possibilitando maior agilidade, autonomia e conectividade.